GABRIELA MACHADO – PEQUENAS PINTURAS

  • gabriela-machado-pequenas-pinturas-rj-web-01
  • gabriela-machado-pequenas-pinturas-rj-web-02
  • gabriela-machado-pequenas-pinturas-rj-web-03
  • gabriela-machado-pequenas-pinturas-rj-web-04
  • gabriela-machado-pequenas-pinturas-rj-web-05
  • web-machado-gabriela-p-pinturas-02
  • web-machado-gabriela-p-pinturas-03
  • web-machado-gabriela-p-pinturas-05
  • web-machado-gabriela-p-pinturas-04

galeria marcelo guarnieri | rio de janeiro

abertura/opening
24.09.2016 / 14h – 17h
September 24, 2016 / 2 – 5pm

período de visitação/exhibition
24.09 – 10.11.2016


Rua Teixeira de Melo, 31 – lojas C/D
Ipanema – Rio de Janeiro – Brasil
[ mapa/map ]


A artista Gabriela Machado passou 20 dias em uma residência artística nos Hamptons, em Nova York, em junho deste ano, onde se propôs a produzir uma pequena pintura a cada dia, inspirada na paisagem ao redor. O resultado deste trabalho será apresentado na exposição “Gabriela Machado – Pequenas pinturas”, a ser inaugurada no dia 24 de setembro, na Galeria Marcelo Guarnieri, Rio de Janeiro. Junto com os trabalhos produzidos em Nova York, estarão também dez obras da mesma série, feitas no Rio de Janeiro após a residência, mostrando como o lugar influencia no fazer artístico.

Conhecida por suas pinturas em grandes formatos, em que coloca painéis no chão e pinta com movimentos rápidos, andando sobre a tela, em um forte trabalho corporal, Gabriela Machado sempre produziu pequenas pinturas, mas estas foram poucas vezes mostradas ao público. “A pintura grande é uma projeção do corpo, entender aquela área e ocupá-la. A pintura pequena é mais de observação, de pulso, onde a pincelada define a pintura. A tinta, o fazer, te levam para outro lugar, definem como será aquele trabalho”, explica a artista.

Gabriela Machado, que foi convidada por Christina Macdonald para a residência artística “Further on AIR”, passava os dias em uma casa de frente para um grande lago produzindo suas obras, quase como um diário, tornando o ato de pintar algo contínuo. “Fiquei sozinha, em contato direto com a natureza, trabalhando o dia todo, tendo como inspiração a linda paisagem ao redor”, conta a artista, que chamou a série de “Hamptons”, em homenagem ao lugar. “Esta é uma exposição de reflexão”, diz.

De volta ao Rio de Janeiro, Gabriela Machado continuou pintando obras da série, também em pequenos formatos, em seu ateliê no Horto. “As cores mudaram completamente. A luz aqui é mais estourada, então as pinturas possuem cores mais fortes, como o vermelho. Lá, os tons são mais pasteis, a luz é menos intensa e é possível ver mais os detalhes”, explica a artista.

A exposição terá 20 trabalhos produzidos nos Hamptons, em Nova York, e dez produzidos no Rio de Janeiro. As pinturas da exposição serão todas em pequenos formatos, com tamanhos que variam entre 28 x 36 cm e 20 x 30 cm, e foram produzidas este ano, em tinta a óleo sobre linho.

SOBRE A RESIDÊNCIA
Criada este ano por Christina Macdonald, a residência artística Furher on AIR, sem fins lucrativos, teve inicio com a artista Gisele Camargo. Gabriela Machado foi a segunda participante do programa, que teve, ainda, o artista alemão Jan Albers e o brasileiro Bruno Dunley. “O tempo da residência varia de acordo com cada artista, com cada projeto, mas o foco são pintores”, explica Christina Macdonald, que faz parte do International Director’s Council do Guggenheim, do Board of Trustees do Parrish Museum, do Board of Trustees do Animal Rescue Fund dos Hamptons e é membro do Artistic Council do Park Avenue Armory. Ela ressalta, ainda, que a residência está localizada nos Hamptons, em Nova York, um lugar pequeno, mas que é cercado de arte, com muitas galerias e residências de importantes artistas. O espaço na casa destinado à residência foi projetado especialmente para este fim por um artista local.

SOBRE A ARTISTA
Gabriela Machado (Santa Catarina, 1960) é formada em arquitetura e urbanismo pela Universidade Santa Úrsula. Estudou gravura, pintura, desenho e teoria da arte na Escola de Artes Visuais do Parque Lage. Sua mais recente exposição individual foi “Things that fit in my hand”, de maio a julho deste ano, no MAM Rio. Atualmente, participa das coletivas “Em Polvorosa – Um panorama das coleções do MAM Rio”, no Rio de Janeiro, e “Projeto Auroras – Pequenas Pinturas”, em São Paulo. Ainda este ano, realizou a mostra “Bicho Solto”, na Galeria Marcelo Guarnieri, em Ribeirão Preto. Anteriormente, participou da coletiva “Múltiplos” (2015), do projeto Carpe Diem – Arte e Pesquisa, no Palácio das Artes, em Lisboa; “Para o pequeno lago verde” (2014), no Museu do Açude, Rio de Janeiro; o trabalho “Caderno” (2014), no Oi Futuro Flamengo, e a mostra “Rever”, no Paço Imperial (2012), no Rio de Janeiro.

Ganhadora do prêmio “Mostras de artista no exterior”, do Programa Brasil Arte Contemporânea, da Fundação Bienal de São Paulo (2010), em 2011 realizou a exposição “Os Jardins de Lisboa em Gabriela Machado”, na instituição Carpe Diem, em Lisboa. No mesmo ano, participou da coletiva II Mostra do Programa Anual de Exposições do Centro Cultural São Paulo. Em 2010, participou da mostra “Coisário Cassino Museu”, onde exibiu as duas obras doadas ao Museu da Pampulha através do Prêmio Marcantonio Vilaça de Artes Plásticas. Em 2009, realizou a exposição “Doida Disciplina”, na Caixa Cultural do Rio de Janeiro e de São Paulo. Em 2008, foi contemplada com o Prêmio Marcatonio Vilaça em aquisição coletiva da Fundação Ecco, Brasília.

Dentre suas exposições individuais destacam-se ainda a mostra “Desenhos”, no CCBB Rio (2002); as exposições no Centro Universitário Maria Antônia (2002), em São Paulo, na Neuhoff Gallery de Nova York (2003), e no Largo das Artes (2007), no Rio de Janeiro; e o “Projeto Macunaíma” (1992), na Funarte, no Rio de Janeiro. Das exposições coletivas destacam-se: “Desenho Contemporâneo” (2002), no CCBB São Paulo e na Caelum Gallery, em Nova York; “Novas Aquisições Coleção Gilberto Chateaubriand” (1998), no MAM Rio; a mostra no Paço Imperial (1998), no Rio de Janeiro; 1ª Bienal Nacional da Gravura (1994), em São Paulo; a mostra no Centro Cultural São Paulo (1993); X Bienal do Desenho de Curitiba (1991); Projeto Macunaíma (1992/1990), na Funarte, no Rio de Janeiro, entre outras.

O trabalho de Gabriela Machado está presente em importantes coleções brasileiras, como as de Gilberto Chateaubriand/MAM Rio de Janeiro, José Mindlin, George Kornis, João Carlos de Figueiredo Ferraz, Charles Cosac, Museus Castro Maya, Instituto Brasileiro de Arte e Cultura, Centro Cultural Cândido Mendes, Fundação Catarinense de Cultura (MASC), Fundação ECCO, do Museu de Arte da Pampulha, e do Centro Cultural São Paulo. Faz parte também da coleção da Squire, Sanders & Dempsey (Arizona, EUA), Arizona State University Art Museum (Arizona, EUA) e Ted G. Decker (Arizona, EUA).


The artist Gabriela Machado spent 20 days in an artistic residence in Hamptons, New York, in this June, where she set herself to produce a small painting every day, inspired by the surrounding area. The result of this work will be displayed at the exhibition “Gabriela Machado – Pequenas pinturas”, to be launched on September 24 at Gallery Marcelo Guarnieri. Along with the works produced in New York, there will be also ten works of the same series, made in Rio de Janeiro after the time spent at the artistic residence, which show how place influences on the artistic making.

Known for her large-scale paintings, in which she puts panels on the floor and paints with fast movements, walking over the canvas in an intense corporal work, Gabriela Machado has always produced small paintings, but they were shown to the audience only a few times. “The large-scale painting is a body projection, to understand that area and occupy it. The small painting is more related to observation, to pulse, in which the stroke defines the painting. The paint, the making takes you to another place, define how that work will be made”, explain the artist.

Gabriela Machado, who was invited by Christine Macdonald to the artistic residence “Further on AIR”, spent her days in a lakefront house producing her works almost like a diary, making the act of painting continuous. “I was alone, in direct contact with the nature, working all day long, having as inspiration the gorgeous landscape around”, tells the artist, who named the series “Hamptons” after the place. “This is an exhibition of reflection”, she says.

Back to Rio de Janeiro, Gabriela Machado continued painting works of this series, also in small scale, at her atelier in Horto. “The colors have changed completely. The light here bursts, so the paintings have stronger colors, as red. There, the shades are paler, the light is less intense and it is possible to better see the details”, explains the artist.

The exhibition will include 20 works produced in Hamptons, New York, and ten produced in Rio de Janeiro. All the paintings of the exhibition will have small scale, with sizes varying between 28 x 36 cm and 20 x 30 cm, and they were produced during this year, in oil paint on linen.

ABOUT THE RESIDENCE
Created this year by Christine Macdonald, the artistic residence Furher on AIR, a non-profit institution, has begun with the artist Gisele Camargo. Gabriela Machado was the second participant of the program, which hosted the German artist Jan Albers and the Brazilian Bruno Dunley as well. “The time at the residence varies according to each artist, each project, but the focus are the painters”, explains Christine Macdonald, member of Guggenheim’s International Director’s Council, of Parrish Museum’s Board of Trustees, of Hamptons Animal Rescue Fund’s Board of Trustees and member of Park Avenue Armory’s Artistic Council. She also points out that the residence is located in Hamptons, New York, a small place, but surrounded by art, with many galleries and residences of important artists. The space at the house dedicated to the residence was especially designed to this purpose by a local artist.

ABOUT THE ARTIST
Gabriela Machado (Santa Catarina, 1960) graduated in Architecture and Urbanism at the University of Santa Úrsula. She studied engraving, painting, drawing and Theory of Art at Visual Arts School Parque Lage. Her most recent exhibition was “Things that fit in my hand”, from May to July this year, at MAM Rio. Currently she participates of the group exposition “Em Polvorosa – Um panorama das coleções – MAM Rio” in Rio de Janeiro, and “Auroras pequenas pinturas – parte 1“ in São Paulo. Still this year, she has produced the exhibition “Bicho solto”, at Galeria Marcelo Guarnieri, in Ribeirão Preto. Previously, she participated of the group exhibition “Múltiplos” (2015) and of the project “Carpe Diem – Arte e Pesquisa” at Palácio das Artes, in Lisbon; “Para o pequeno lago verde” (2014), at Açude Museum, Rio de Janeiro; the work “Caderno” (2014) at Oi Futuro Flamengo, and the exhibit “Rever” at Paço Imperial (2012), in Rio de Janeiro.

Winner of the prize “Mostras de artista no exterior”, from Brazil Contemporary Art Program, of Biennial Foundation in São Paulo (2010), in 2011 she produced the exhibition “Os Jardins de Lisboa em Gabriela Machado” at Carpe Diem Institution in Lisbon. In the same year, she took part on the group exhibition “II Mostra do Programa Anual de Exposições do Centro Cultural São Paulo”. In 2010, she participated of the exhibit “Coisário Cassino Museu”, where she exposed the two artworks donated to Museu da Pampulha through Marcantonio Vilaça Prize of Plastic Arts. In 2009, she produced the exhibition “Doida Disciplina” at Caixa Cultural, in Rio de Janeiro and in São Paulo. In 2008, she was awarded Marcantonio Vilaça Prize in collective acquisition of Ecco Foundation, Brasília.

Other important individual exhibitions are “Desenhos” at CCBB Rio (2002); the expositions at Centro Universitário Maria Antônia (2002), in São Paulo, at Neuhoff Gallery, in New York (2003), and at Largo das Artes (2007), in Rio de Janeiro; and “Projeto Macunaíma” (1992) at Funarte, in Rio de Janeiro. Some of her group exhibitions are “Desenho Contemporâneo” (2002) at CCBB São Paulo and at Caelum Gallery, in New York; “Novas Aquisições Coleção Gilberto Chateaubriand” (1998) at MAM Rio; the exhibit at Paço Imperial (1998), in Rio de Janeiro; 1ª Bienal Nacional da Gravura (1994), in São Paulo; the exhibit at Centro Cultural São Paulo (1993); X Bienal do Desenho de Curitiba (1991); Projeto Macunaíma (1992/1990) at Funarte, in Rio de Janeiro, among others.

Gabriela Machado’s artwork is present in important Brazilian collections, such as Gilberto Chateaubriand/MAM Rio de Janeiro, José Mindlin, George Kornis, João Carlos Figueiredo Ferraz, Charles Cosac, Museu Castro Maya, Instituto Brasileiro de Arte e Cultura, Centro Cultural Cândido Mendes, Fundação Catarinense de Cultura (MASC), Fundação ECCO, Museu de Arte da Pampulha, and Centro Cultural São Paulo. It is also part of the collection of Squire, Sanders & Dempsey (Arizona, USA), Arizona State University Art Museum (Arizona, USA) e Ted G. Decker (Arizona, USA).

adminGABRIELA MACHADO – PEQUENAS PINTURAS